Quando escuto este soneto ocorre algo que está acima da minha capacidade de colocar aquilo que sinto na tríade corpo, alma e coração. Em resumo: Uma grande mistura de sentimentos.

Vininha pede desta forma a Tom Jobim: Gostaria que você colocasse uma melodia neste soneto.
Tom Respondeu: Sim, e tomou muito cuidado para deixar a simplicidade e a perfeição daqueles versos não serem atrapalhados pela música, o resultado é surpreendente, um junção que nos leva a uma fusão de sentimentos…  não sei se choro ou se dou um sorriso, Não sei se calo ou se grito. é visceral, é delicado, é apenas Tom Jobim e vinicius de Moraes.

Soneto da Separação

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama

De repente não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente

Fez-se do amigo próximo, distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

Abaixo um vídeo de Tom e Elis interpretando o poema citado acima.

Até Mais!

Anúncios